O Quebra-Nozes

Nutcracker1892

A primeira performance de O Quebra-Nozes no Teatro Mariinsky em 1892.

O Quebra-Nozes é um ballet em dois atos originalmente coreografado por Marius Petita e Lev Ivanov. O libreto é uma adaptação da história de Hoffmann “O Quebra-Nozes e o Rei Rato”. Embora a produção original não tenha desfrutado de grande sucesso, após 1960 o ballet alcançou imensa popularidade em todo o mundo, sobretudo nos Estados Unidos, tornando-se a obra de Tchaikovisky mais conhecida pelo grande público.

Nutcracker_design

Desenho de  Konstantin Ivanov do cenário da primeira montagem de O Quebra-Nozes.

Depois do sucesso de A Bela Adormecida, em 1890, Ivan Vsevolozhsky, diretor dos Teatros Imperiais, encomendou a Tchaikovsky mais um ballet. Para tal, foi escolhida uma adaptação da história de Hoffmann, que foi bastante simplificada para o ballet de dois atos. O conto de Hoffmann contém uma longa história de flashback dentro de sua trama principal intitulada “O Conto do Noz Duro”, que explica como o Príncipe foi transformado no Quebra-Nozes. Isso teve que ser extirpado pelo ballet. Para essa nova produção, Petipa deu a Tchaikovsky instruções extremamente detalhadas para a composição de cada número, até o tempo e o número de compassos.

Vsevolozhskys_design_for_Nutcracker

Desenho de Konstantin Ivanov de alguns dos figurinos da primeira montagem do ballet.
A música da obra pertence ao período romântico e contém
algumas das melodias mais memoráveis do período, muitas das quais são freqüentemente usadas na televisão
e filme. O Trepak, ou dança russa, é uma das peças mais reconhecidas no balé, juntamente com a famosa Valsa das Flores e a dança da fada do açúcar.
Sugar_Plum_Fairy.jpg
Miyako Yoshida e Steven McRae como Fada Açucarada e seu príncipe na montagem de Dezembro de 2009 do Royal Ballet.
Uma novidade na partitura original de Tchaikovsky foi o uso da celesta, um novo instrumento que Tchaikovsky havia descoberto em Paris. Ele queria que a personagem Fada de Açucar a caracterizasse por causa de seu “som doce e celestial”. O novo instrumento não aparece apenas em sua dança, mas também em outras passagens do Ato II. Tchaikovsky também usa instrumentos de brinquedo durante a cena da festa de Natal. O compositor estava orgulhoso do efeito da celesta e queria que sua música fosse executada rapidamente para o público, antes que ele pudesse ser “roubado”.
 
Embora o ballet original tenha apenas 85 minutos de duração, algumas apresentações modernas reordenaram parte das músicas ou inseriram passagens de outros lugares. De fato, a maioria das versões do ballet tiveram a ordem das danças ligeiramente reorganizadas ou até mesmo a música foi alterada.
Russia_-_6102a_MNH_1024x1024
Selo comemorativo dos cem anos do Ballet.

Veja aqui uma bela montagem de O Quabra-Nozes

 

O Lago dos Cisnes

Swanlakemordkin

Adelaide Giuri como Odette e Mikhail Mordkin como Príncipe Siegfried em montagem de 1901 no Teatro Bolshoi em Moscou.

O Lago dos Cisnes é um ballet dramático em quatro atos, com libreto de Vladimir Begitchev e Vasily Geltzer, e coreografia de Julius Reisinger . Em 1876, o Teatro Bolshoi encomendou a Tchaikovsky um balé original para a sua companhia de dança.  A versão original de O Lago dos Cisnes estreou no Bolshoi no ano seguinte, em 1877. A maior parte dos críticos considerou a peça muito complexa para um ballet. Os bailarinos da estréia acharam muito difícil combinar a música com os movimentos graciosos e fluídos que a montagem exigia.

O ballet foi enterrado pelos sucessos de A Bela Adormecida e O Quebra-Nozes, do mesmo compositor. Mas após a morte de Tchaikovsky, os coreógrafos Marius Petipa e Lev Ivanov resolveram revisitar a obra, editando algumas músicas e reformulando as coreografias originais. Então, nesta segunda montagem, encenada em São Petersburgo em 1895 com nova coreografia, o ballet alcançou sucesso.

O romantismo da época trazia histórias de amor com finais trágicos. A densidade emocional do enredo de O Lago dos Cisnes, unindo sentimentos de esperança, paixão e desespero é uma das bases para o sucesso do ballet. Mas outros elementos contribuem para o seu reconhecimento, como a busca pela perfeição técnica na execução das coreografias por parte dos bailarinos, como por exemplo a virtuosa Pierina Legnani, que realizava uma sequência de 32 fouettés quando interpretava Odette e Odile.

the-pearl-pierina-legnani-as-the-white-pearl-1896.jpg

Pierina Legnani

O ballet conta a história da princesa Odette, uma jovem aprisionada no corpo de um cisne pelo feiticeiro Von Rothbart. Vivendo no entorno de um lago formado pelas lágrimas de sua mãe, durante o dia, Odette se mantém em condição animal, se revelando humana somente por algumas horas da noite. Para se libertar dessa condição, ela precisa que um jovem admirador virgem lhe declare amor e fidelidade. E, caso seja traída, Odette permanecerá para sempre como cisne.

27MARIINSKY-COMBO-articleLarge

Uliana Lopatkina do Ballet do Teatro Mariinsky como Odette.

Na época em que O Lago dos cisnes foi composto, era comum incluir trechos de músicas folclóricas conhecidas pelo público e danças em homenagem a outros países. As danças russas, húngaras, espanholas e chinesas aparecem nas cenas da festa de aniversário do Príncipe. A versão clássica que conhecemos hoje é, na verdade, uma versão mais curta, editada, do ballet original.

Personagens da obra: Príncipe Siegfried, Princesa Odette, A Rainha, Mago Rothbart , Odile, as donzelas, os convidados e os 6 Reis.

mariinsky-st-petersburg-7-1412952820-view-0

Corpo de baile do Teatro Mariinsky em uma montagem recente de O Lago dos Cisnes.

Veja aqui uma bela montagem de O Lago dos Cisnes

Três ballets de Tchaikovsky

Tchaikovsky compôs 3 dos ballets mais populares em todo o mundo: O Lago dos Cisnes em 1877, seu primeiro ballet ; A Bela Adormecida em 1890, considerado um de seus melhores trabalhos; e o O Quebra-Nozes em 1892.

O Lago dos cisnes

Tchaikovsky compôs a obra, mas não era especialista em música para ballet, o que fez de O Lago dos Cisnes o primeiro ballet composto por um compositor de sinfonias e concertos. Para criar a obra, o compositor russo se inspirou em compositores como Léon Minkus e Cesare Pugni.

Neste vídeo temos uma belíssima montagem do ballet que conta com Rudolf Nureyev como Sigfried e Margot Fonteyn como Odile-Odette.

A Bela Adormecida

Baseado no conto de fadas francês de Charles Perrault, Tchaikovsky escreveu a obra entre os anos de 1888 a 1889. A Bela Adormecida é considerado o mais substancial dos três ballets de Tchaikovsky, e também aquele que estabeleceu o padrão pelo qual começaram a medir-se todas as grandes companhias de ballet do mundo.

Veja aqui o que já falamos sobre este belíssimo ballet.

 

 

 

O quebra-nozes

Tem sua trilha sonora reconhecida como uma das peças mais populares e famosas da música, O Quebra-Nozes foi um ballet que veio marcar a afirmação da Rússia como o grande centro mundial da dança, ao invés da França. Este talvez seja o ballet mais popular de todos os tempos, com muitas montagens em vários teatros em todo o mundo.

 

 

 

Esta montagem de Dezembro de 2012 é certamente uma das mais lindas que temos no Youtube.

Três sinfonias de Tchaikovsky

 

Piotr Ilitch Tchaikovsky nasceu em São Petesburgo na Rússia, no dia 7 de Maio de 1840 e morreu no dia 6 de Novembro de 1893. Ele compôs sinfonias, concertos, óperas, ballets, música litúrgica e música de câmara.

Tchaikovsky se destacou por conseguir introduzir muita emoção em suas obras, tinha o dom de aprofundar as emoções em suas composições. Suas harmonias e melodias são ricas e vivas, cheias de tensões e de contrastes. Outro ponto de destaque é o fato de que suas harmonias apresentavam mudanças de tonalidades se alinhando à modelação da composição ocidental. Aí percebemos uma forte inspiração em seu compositor preferido: Mozart.

Hoje indicamos três obras deste compositor russo romântico: suas sinfonias de número 4, 5 e 6.

Symphony #4 In F Minor, Op. 36 1. Andante Sostenuto, Moderato Con Anima. 2. Andantino In Modo Di Canzona. 3. Scherzo_Pizzicato Ostinato, Allegro. 4. Finale_ Allegro Con Fuoco.

Symphony #5 In E Minor, Op. 64 1. Andante, Allegro Con Anima. 2. Andante Cantabile, Con Alcuna Licenza. 3. Valse_ Allegro Moderato. 4. Finale_ Andante Maestoso, Allegro Vivo.

Symphony #6 In B Minor, Op. 74, _Pathétique 1. Adagio, Allegro Non Troppo. 2. Allegro Con Grazia. 3. Allegro Molto Vivace. 4. Finale_ Adagio Lamentoso, Andante.

1200px-S7001904

Também recomendamos uma visita ao site e à página da wikpédia do Museu Casa onde ele viveu os dois últimos anos de sua vida, e que antes era casa de campo de sua família;

http://www.museum.ru/mscreg/e5_hist.htm

https://en.wikipedia.org/wiki/Tchaikovsky_State_House-Museum

A Bela Adormecida de Tchaikovsky

O elenco original da produção de 1980 do Teatro Mariinsky em São Petesburgo. 

A Bela Adormecida é um ballet de um prólogo e três ato composto por Tchaikovsky. O cenário original foi concebido por Ivan Vsevolojsky, e a coreografia original é de Marius Petipa. Baseado no contos de fadas de Charles Perrault, sua estreia ocorreu no Teatro Mariinsky em São Petersburgo no dia 5 de Janeiro de 1890.

krasavitsa

Carlotta Brianza como Princesa Aurora e Pavel Gerdt como Príncipe Désiré, na montagem original de ‘A Bela Adormecida’.

De uma maneira geral, a música de Tchaikovsky é muito baseada na melodia, mas em A Bela Adormecida o compositor também destacou a harmonia, acrescentando muita dramaticidade ao ballet. A obra é típica de seu período – romântico tardio – e nela Tchaikovsky faz muito uso dos efeitos orquestrais, elemento em que o compositor russo é mestre.

sleeping_beauty_royal_ballet_2008

Alexandra Ansanelli como Princesa Aurora e David Makhateli como Príncipe Florimund em uma produção do Royal Ballet de ‘A Bela Adormecida’ em  29 April 2008.

Messias

“Messias” é um oratório de Handel com 51 movimentos divididos em 3 partes. Composto em 1741, a obra conta com o libreto de Charles Jennens, que fez uma criteriosa recolha de versículos e escrituras do Velho e Novo Testamentos arranjados num “argumento” em três partes (como ele o descreveu). A obra estreou-se em Dublin, no período da Páscoa de 1742.

À epoca, o texto suscitou controvérsia com jornais ponderando sobre sua natureza “blasfema”. A obra acabada, contudo, teve outra receptividade, sendo elogiada em Berlim e depois em Londres. Händel fez várias revisões subsequentes, incluindo uma versão criada em 1754 para o “Thomas Coram’s Foudling Hospital” (fundação para a educação de crianças abandonadas à qual Händel passa a dedicar mais tempo a partir de 1749). Atualmente ainda é um obra muito apreciada e requisitada para os eventos natalícios, embora frequentemente apenas a 1ª Parte e o “Aleluia” (com que encerra a 2ª Parte) sejam interpretados, não respeitando a integridade da oratória.

A tradição historiográfica romântica registrou, deturpadamente, que quando na primeira apresentação do “Messiah” em Londres – onde o rei de Inglaterra, George II, estava presente – o coro começou a entoar as primeiras notas do “Aleluia”, o rei, embevecido e impressionado com a portentosidade e a beleza daquela música, automaticamente levantou-se de sua poltrona. Quando os presentes viram que o rei estava em pé, toda a audiência ergueu-se e permaneceu em pé durante a execução do “Aleluia” do “Messias” de Handel.

Indico vivamente a gravação sob a regência de Sir Neville Marriner e aproveito para desejar um feliz Natal para todas as famílias que vêm nos acompanhando nessa jornada musical. Até 2019!

Retrato de um Homem Velho

Nesta pintura de 1645 Rembrandt voltou sua atenção para a temática da velhice, um tema recorrente em sua obra. A identidade da figura na pintura é, no entanto, desconhecida. O traje rico que ele está vestindo não dá nenhuma indicação da ocupação ou status social do velho. Pelo contrário, parece ser um acessório pertencente ao estúdio do pintor que ele usou como um elemento decorativo.

Em um estilo altamente intimista, a obra une a simplicidade holandesa com o gosto italiano por cores quentes. Realista, expressivo, denso e emocionalmente sugestivo, o retrato revela uma nova forma de narração pictórica através da qual o espectador entra em contato com o espaço espiritual habitado pela figura.

Rembrandt Portrait of an Old Man, 1645 (5)