Três ballets de Tchaikovsky

Tchaikovsky compôs 3 dos ballets mais populares em todo o mundo: O Lago dos Cisnes em 1877, seu primeiro ballet ; A Bela Adormecida em 1890, considerado um de seus melhores trabalhos; e o O Quebra-Nozes em 1892.

O Lago dos cisnes

Tchaikovsky compôs a obra, mas não era especialista em música para ballet, o que fez de O Lago dos Cisnes o primeiro ballet composto por um compositor de sinfonias e concertos. Para criar a obra, o compositor russo se inspirou em compositores como Léon Minkus e Cesare Pugni.

Neste vídeo temos uma belíssima montagem do ballet que conta com Rudolf Nureyev como Sigfried e Margot Fonteyn como Odile-Odette.

A Bela Adormecida

Baseado no conto de fadas francês de Charles Perrault, Tchaikovsky escreveu a obra entre os anos de 1888 a 1889. A Bela Adormecida é considerado o mais substancial dos três ballets de Tchaikovsky, e também aquele que estabeleceu o padrão pelo qual começaram a medir-se todas as grandes companhias de ballet do mundo.

Veja aqui o que já falamos sobre este belíssimo ballet.

 

 

 

O quebra-nozes

Tem sua trilha sonora reconhecida como uma das peças mais populares e famosas da música, O Quebra-Nozes foi um ballet que veio marcar a afirmação da Rússia como o grande centro mundial da dança, ao invés da França. Este talvez seja o ballet mais popular de todos os tempos, com muitas montagens em vários teatros em todo o mundo.

 

 

 

Esta montagem de Dezembro de 2012 é certamente uma das mais lindas que temos no Youtube.

Três sinfonias de Tchaikovsky

 

Piotr Ilitch Tchaikovsky nasceu em São Petesburgo na Rússia, no dia 7 de Maio de 1840 e morreu no dia 6 de Novembro de 1893. Ele compôs sinfonias, concertos, óperas, ballets, música litúrgica e música de câmara.

Tchaikovsky se destacou por conseguir introduzir muita emoção em suas obras, tinha o dom de aprofundar as emoções em suas composições. Suas harmonias e melodias são ricas e vivas, cheias de tensões e de contrastes. Outro ponto de destaque é o fato de que suas harmonias apresentavam mudanças de tonalidades se alinhando à modelação da composição ocidental. Aí percebemos uma forte inspiração em seu compositor preferido: Mozart.

Hoje indicamos três obras deste compositor russo romântico: suas sinfonias de número 4, 5 e 6.

Symphony #4 In F Minor, Op. 36 1. Andante Sostenuto, Moderato Con Anima. 2. Andantino In Modo Di Canzona. 3. Scherzo_Pizzicato Ostinato, Allegro. 4. Finale_ Allegro Con Fuoco.

Symphony #5 In E Minor, Op. 64 1. Andante, Allegro Con Anima. 2. Andante Cantabile, Con Alcuna Licenza. 3. Valse_ Allegro Moderato. 4. Finale_ Andante Maestoso, Allegro Vivo.

Symphony #6 In B Minor, Op. 74, _Pathétique 1. Adagio, Allegro Non Troppo. 2. Allegro Con Grazia. 3. Allegro Molto Vivace. 4. Finale_ Adagio Lamentoso, Andante.

1200px-S7001904

Também recomendamos uma visita ao site e à página da wikpédia do Museu Casa onde ele viveu os dois últimos anos de sua vida, e que antes era casa de campo de sua família;

http://www.museum.ru/mscreg/e5_hist.htm

https://en.wikipedia.org/wiki/Tchaikovsky_State_House-Museum

A Bela Adormecida de Tchaikovsky

O elenco original da produção de 1980 do Teatro Mariinsky em São Petesburgo. 

A Bela Adormecida é um ballet de um prólogo e três ato composto por Tchaikovsky. O cenário original foi concebido por Ivan Vsevolojsky, e a coreografia original é de Marius Petipa. Baseado no contos de fadas de Charles Perrault, sua estreia ocorreu no Teatro Mariinsky em São Petersburgo no dia 5 de Janeiro de 1890.

krasavitsa

Carlotta Brianza como Princesa Aurora e Pavel Gerdt como Príncipe Désiré, na montagem original de ‘A Bela Adormecida’.

De uma maneira geral, a música de Tchaikovsky é muito baseada na melodia, mas em A Bela Adormecida o compositor também destacou a harmonia, acrescentando muita dramaticidade ao ballet. A obra é típica de seu período – romântico tardio – e nela Tchaikovsky faz muito uso dos efeitos orquestrais, elemento em que o compositor russo é mestre.

sleeping_beauty_royal_ballet_2008

Alexandra Ansanelli como Princesa Aurora e David Makhateli como Príncipe Florimund em uma produção do Royal Ballet de ‘A Bela Adormecida’ em  29 April 2008.

Messias

“Messias” é um oratório de Handel com 51 movimentos divididos em 3 partes. Composto em 1741, a obra conta com o libreto de Charles Jennens, que fez uma criteriosa recolha de versículos e escrituras do Velho e Novo Testamentos arranjados num “argumento” em três partes (como ele o descreveu). A obra estreou-se em Dublin, no período da Páscoa de 1742.

À epoca, o texto suscitou controvérsia com jornais ponderando sobre sua natureza “blasfema”. A obra acabada, contudo, teve outra receptividade, sendo elogiada em Berlim e depois em Londres. Händel fez várias revisões subsequentes, incluindo uma versão criada em 1754 para o “Thomas Coram’s Foudling Hospital” (fundação para a educação de crianças abandonadas à qual Händel passa a dedicar mais tempo a partir de 1749). Atualmente ainda é um obra muito apreciada e requisitada para os eventos natalícios, embora frequentemente apenas a 1ª Parte e o “Aleluia” (com que encerra a 2ª Parte) sejam interpretados, não respeitando a integridade da oratória.

A tradição historiográfica romântica registrou, deturpadamente, que quando na primeira apresentação do “Messiah” em Londres – onde o rei de Inglaterra, George II, estava presente – o coro começou a entoar as primeiras notas do “Aleluia”, o rei, embevecido e impressionado com a portentosidade e a beleza daquela música, automaticamente levantou-se de sua poltrona. Quando os presentes viram que o rei estava em pé, toda a audiência ergueu-se e permaneceu em pé durante a execução do “Aleluia” do “Messias” de Handel.

Indico vivamente a gravação sob a regência de Sir Neville Marriner e aproveito para desejar um feliz Natal para todas as famílias que vêm nos acompanhando nessa jornada musical. Até 2019!

Retrato de um Homem Velho

Nesta pintura de 1645 Rembrandt voltou sua atenção para a temática da velhice, um tema recorrente em sua obra. A identidade da figura na pintura é, no entanto, desconhecida. O traje rico que ele está vestindo não dá nenhuma indicação da ocupação ou status social do velho. Pelo contrário, parece ser um acessório pertencente ao estúdio do pintor que ele usou como um elemento decorativo.

Em um estilo altamente intimista, a obra une a simplicidade holandesa com o gosto italiano por cores quentes. Realista, expressivo, denso e emocionalmente sugestivo, o retrato revela uma nova forma de narração pictórica através da qual o espectador entra em contato com o espaço espiritual habitado pela figura.

Rembrandt Portrait of an Old Man, 1645 (5)

 

Retrato de Família

Na fase final de sua carreira, parecia que Rembrandt não estava mais preocupado com convenções. Enquanto seus antigos alunos adotaram há muito tempo um estilo de pintura mais suave, Rembrandt deu um passo adiante; fez pinturas notavelmente tenras de pessoas que claramente se amavam. Nunca antes, na História da Arte, a intimidade e o amor combinavam tão bem com manchas ásperas e manchas de tinta rebocadas. Não só isso ainda nos atrai hoje, mas alguns de seus contemporâneos também adoraram este ousado trabalho tardio do velho mestre.

A cena de uma família retratada em trajes históricos ou exóticos não é o que distingue esse trabalho. Muitos pintores estavam fazendo isso na época, mas esta pintura tardia de Rembrandt supera todos os outros retratos de família no calor que você sente ao contemplar a tela. O bebê tocando o peito da mãe é cativante. Para enfatizar esse gesto carinhoso, Rembrandt teve a ideia de deixar a blusa cair aberta, de modo que a mão do menino entra em contato com a pele de sua mãe.

Rinaldo

Rinaldo

“Rinaldo” é uma ópera de George Frideric Handel, composta em 1711, e foi a primeira ópera em língua italiana escrita especificamente para o palco de Londres. O libreto foi feito por Giacomo Rossi a partir de um cenário fornecido por Aaron Hill. A opera foi montada pela primeira vez no Queen’s Theatre em Haymarket, em Londres, em 24 de fevereiro de 1711. Trata-se de uma história de amor, guerra e redenção, que se passa na época da Primeira Cruzada , é vagamente baseado no poema épico de Torquato Tasso Gerusalemme liberata (“Jerusalém entregue”). Fez muito sucesso com o público, apesar das reações negativas dos críticos.

Handel compôs Rinaldo rapidamente, pegando emprestado e adaptando músicas de óperas e outras obras que compôs durante uma longa estada na Itália nos anos 1706-10, período em que ele estabeleceu uma reputação considerável. Nos anos seguintes à estréia, o compositor fez inúmeras alterações na obra. Rinaldo é considerado pelos críticos como uma das maiores óperas de Handel e é uma peça de concerto popular. Handel passou a dominar a ópera na Inglaterra por várias décadas. Rinaldo foi reavivado em Londres regularmente até 1717, e foi uma versão revisada em 1731; de todas as óperas de Handel, Rinaldo foi o mais realizado durante sua vida. Depois de 1731, no entanto, a ópera não foi encenada por mais de 200 anos. Interesse renovado na ópera barroca durante o século XX levou à primeira produção profissional moderna no local de nascimento de Handel, Halle, Alemanha, em 1954.

Acima está minha gravação preferida da ópera, com os cantores Bartoli e Daniels. Gosto especialmente da famosa ária de soprano “Lascia ch’io pianga“.