“Caligrafia e cópia” por Lizie Carvalho

copy

Perguntaram-me recentemente como eu trabalho caligrafia com a Ana.

Deixe-me esclarecer, de início, que no método Charlotte Mason a caligrafia não é um fim em si mesmo. Ela está incluída no trabalho de cópia, a transcrição palavra por palavra de uma frase ou trecho, e seu objetivo não é simplesmente ter uma letra bonita.

Então, porque fazer caligrafia e cópia?

Primeiro, para ter uma letra bonita! Não, não estou me contradizendo.

Charlotte Mason nos chama a apreciarmos e nos deleitarmos na beleza da natureza, principalmente, e também na beleza das artes.

“A percepção da beleza em sua própria escrita e nas linhas que copiam deve conduzi-las com deleite a esse momento de trabalho.” v.1, p.238

Fica clara, em suas obras, sua intenção de ensinar a criança a contemplar, apreciar e se deleitar naquilo que é belo. O que é belo e harmonioso nos traz alegria bem como prazer aos nossos olhos e ouvidos.

 “A primeira prática de escrita direcionada a crianças de sete ou oito anos não deve ser escrever cartas ou ditados, mas fazer um trabalho de transcrição lento e bonito” v.1 p.238

Há notável importância dada por CM no que se escreve também. As crianças devem escolher suas passagens favoritas para transcreverem.

 “Pode-se acrescentar a esse exercício um certo senso de posse e deleite, ao permitir-se que as crianças escolham seu verso favorito em um ou outro poema para transcrever. Isso é melhor do que escrever um poema favorito por inteiro, exercício que enfada os pequenos antes que esteja terminado. Mas, um livro de sua própria autoria, composto de seus próprios versos selecionados, deveria agradar-lhes.” V1p239

A segunda razão é que o trabalho de cópia é a maneira como ortografia e gramática são trabalhadas nos anos iniciais pelo método CM.

“A transcrição deveria ser uma introdução à ortografia. As crianças deveriam ser encorajadas a olhar para a palavra, ver sua imagem com os olhos fechados e, depois, escrever de memória.” V1p239

Não há livros didáticos no método CM. Não há uma lista de palavras para que as crianças dividam em sílabas, destaquem a sílaba tônica e acentuem. Regras gramaticais são aprendidas pela leitura e cópia de cada palavra. E sua correta ortografia memorizada.

E como fazê-lo?

Como já citei, a criança deverá escolher os trechos a serem transcritos. Mas há um percurso até o momento em que a criança consegue transcrever uma ou mais frases.

As lições devem ser curtas. Cinco a dez minutos. Devemos iniciar na caligrafia com uma letra apenas. Uma letra por lição, escrita perfeitamente dará a criança algo pelo qual se esforçar sem chegar ao desleixo oriundo do cansaço. Peça à criança que copie perfeitamente por algumas vezes um mesmo traço. Não uma folha inteira, mas uma meia dúzia é suficiente. Há disponível para venda livros e apostilas que trazem esses traços básicos. Depois, faça o mesmo com as outras letras.

Na medida em que a criança for crescendo, procure evita a borracha. Não nos empenhamos em fazer algo que pode ser refeito. Após a criança ter escrito cada letra, traremos duas ou três palavras de um poema ou trecho já conhecido, seguindo, depois, para frases e períodos.

“Primeiro, a criança precisa concluir algo perfeitamente em todas as lições — um traçado reto ou curvo, ou uma letra. A lição de escrita precisa ser curta; não deve durar mais do que cinco ou dez minutos. A facilidade na escrita vem pela prática; mas, isso deverá ser assegurado posteriormente. Até lá, o principal a ser evitado é o hábito do trabalho descuidado.” V.1 p.233-234

Aqui está apontado um dos princípios de uma educação CM: o hábito da execução perfeita.

“A criança não deve receber qualquer trabalho que não possa executar perfeitamente, e, portanto, deve-se exigir dela perfeição como algo natural. Por exemplo, se você a colocar para fazer cópia de traçados e permitir que ela encha uma lousa com todo tipo de inclinações e todo tipo de espaçamentos, seu senso moral será corrompido e sua visão ferida. Dê a ela seis traçados para copiar; permita que ela entregue seis traçados perfeitos, com espaçamentos regulares e com inclinações regulares, ao invés de uma lousa cheia. Se ela produzir um par defeituoso, faça com que ela aponte a falha e persevere até que tenha finalizado sua tarefa; se ela não conseguir finalizar a tarefa hoje, deixe-a continuar amanhã e, no dia seguinte, e, quando ela conseguir obter os seis traçados perfeitos, que esta seja uma ocasião de triunfo. Deve ser assim também com as pequenas tarefas de pintura, desenho ou construção em que ela se lança – que tudo o que ela fizer seja bem feito. (…) Intimamente conectado ao hábito de ‘trabalho perfeito’ está o hábito de concluir qualquer coisa que estiver fazendo. Uma criança raramente deve ser autorizada a começar um novo empreendimento até que o último esteja concluído” v.1 p160

Charlotte Mason ainda cita a necessidade de um bom local para a criança se sentar, uma mesa de apropriada altura em que ela possa se posicionar adequadamente.

Como podem ver, beleza, perfeição e riqueza de palavras estão atrelados em uma atividade. Virtudes e bons hábitos associados à formação acadêmica da criança. O método Charlotte Mason busca a formação integral da criança.

“Isto é apreciação, cuja função é pesar e considerar, devidamente e delicadamente, os méritos, as boas qualidades de uma pessoa, de um país, de uma causa, de um livro ou de uma imagem. A apreciação é uma deliciosa moradora da Casa do Coração, e está continuamente reunindo a colheita da alegria. É muito bom e agradável notar uma marca de altruísmo aqui, de delicadeza ali, de honra em outro lugar; observar e valorizar o registro da beleza da perfeição na obra de um homem qualquer, quer esta obra seja um grande poema ou a limpeza de uma sala.”  V.4 p.148

______________
Lizie é mãe homeschooler apaixonada pelo método de Charlotte.

Muito obrigada pela contribuição Lizie!

Cinco etapas para uma narração de sucesso.

Meu marido está levantando pesos há vários meses, um esforço para entrar em forma e melhorar sua saúde. Tem sido bom. O programa que ele está usando o desafia a aumentar regularmente o número de quilos que ele levanta, e ele estava feliz fazendo progresso e atingindo novos recordes de ascensão até janeiro. Então as rodas caíram do vagão.

De repente, ele não conseguiu progredir mais. Ele não conseguiu levantar nada mais pesado. O que estava errado? Depois de filmar alguns vídeos e analisá-los, ele descobriu o problema: Sua forma (execução) estava errada.

Ele não estava seguindo a mecânica básica de como levantar pesos corretamente, e isso estava impedindo seu progresso. Ele chegou a um certo nível, mas não conseguiu progredir sem a forma correta. Para aqueles de nós que usam o método de Charlotte Mason, é bom examinar nossa mecânica básica de vez em quando também.

Eu conversei com muitas mães que estão frustradas porque não parecem estar fazendo progresso algum. Elas chegaram a um certo ponto e parecem não conseguir ir além disso. Quando discutimos mais, geralmente há um componente que todas elas mencionam. É um componente básico de Charlotte Mason que pode fazer ou quebrar seu progresso: NARRAÇÃO.

Se você estiver fazendo uma lição de narração corretamente, você fará grandes avanços e seus filhos vão gostar de aprender. Se a sua forma estiver errada, no entanto, o desvio poderá impedi-lo de alcançar seus objetivos. Então, vamos examinar os fundamentos da narração – a forma correta, isso ajudará você a continuar progredindo e experimentando o sucesso.

Uma lição de narração de sucesso tem cinco etapas. Geralmente, quando uma mãe homeschool está frustrada com a narração, é porque está deixando de fora uma dessas etapas.

1. Escolha um bom livro vivo.

Alguns livros são quase impossíveis de narrar, mesmo para um narrador experiente. Se você está usando um desses, não fará muito progresso. Tenha certeza de que o livro que você está lendo, toca as emoções, inflama a imaginação, e pinta uma imagem que você possa visualizar mentalmente, como o autor descreve o que está acontecendo. Esse tipo de livro vivo – um que dá idéias, não apenas fatos secos – vai pavimentar o caminho para uma lição de narração suave.

2. Olhe para frente e para trás.

Esta etapa é provavelmente a que é esquecida com mais frequência. No entanto, é uma parte importante do processo e pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma aula de narração. Tire alguns minutos para se orientar. Veja como a leitura de hoje se conecta ao que aconteceu da última vez e prepare sua mente para o que será lido hoje.

3. Leia a passagem.

Uma vez que sua mente esteja preparada, deixe o autor compartilhar suas grandes ideias. Sua mente vai ganhar boa comida para pensar. Somente certifique-se de saber quando parar de “comer”, em vez de continuar empanturrando sua mente e não ter tempo para digerir. Em outras palavras, fique de olho na extensão da passagem que você lê.

4. Reconte a passagem.

Após a informação entrar em sua mente, você deve interagir com ela se você realmente quiser aprender. Considerando o que você leu, ponderando como isso se aplica a outras ideias que você obteve, colocando em ordem, lembrando detalhes, misturando com a sua opinião e, em seguida, transformar esses pensamentos em frases coerentes e dizer-lhes a outra pessoa, é quando o real aprendizado toma lugar. Charlotte Mason chamou isso de “Ato do Saber”.

5. Discuta ideias.

Quaisquer perguntas que sejam feitas devem ser questões abertas de discussão que incentivam mais interação com as grandes ideias do autor. Perguntas como essas e uma lição com todos os componentes descritos acima, manterá a concentração na alegria de aprender para o crescimento pessoal.

Caso se depare com “Isso vai estar em teste?” nos comentários, isso é um sinal de que alguma coisa está deslocada, sua mecânica está errada, e seu progresso será prejudicado. Vamos reservar um tempo nas próximas semanas para ver cada etapa com mais detalhe e trazer suas lições de narração de volta à forma correta.

 

Traduzido por Mariane Bessa

Reproduzido e traduzido com a permissão de Simply Charlotte Mason.

Obs: Esse texto é parte de um e-book disponibilizado gratuitamente por Simply Charlotte Mason ( https://simplycharlottemason.com/store/five-steps-to-successful-narration/ )

“Dicas Práticas para Dias Tranquilos” por Sonya Shafer

Esta manhã, minha filha mais nova e eu fomos ao supermercado. As aulas em nossa comunidade começaram hoje, então, aquele seria um momento tranquilo para irmos às compras. Eu puxei um carrinho de compras do final da fila e o empurrei até a porta automática, e, então, percebi que estava sorrindo. Por quê? Eu estava com um carrinho estável! Você sabe, um com todas as rodas girando livremente! Nada daquela oscilação e tremor que faz você ranger os dentes e querer abandonar suas compras no meio do caminho. Que surpresa deliciosa!

Nós gostamos de estabilidade. Carrinhos de supermercado estáveis. Dias estáveis. Ensino domiciliar estável.

Nesse artigo, vamos olhar para alguns lembretes práticos. Pequenas dicas que podem trazer um sorriso de volta aos nossos lábios e nos ajudar a ter prazer na viagem novamente. Dicas simples para um ano estável.

Continuar lendo ““Dicas Práticas para Dias Tranquilos” por Sonya Shafer”

20 Princípios da Filosofia de Charlotte Mason

Nas próprias palavras de Charlotte, estes princípios tratam-se “de um breve resumo da teoria de educação apresentada nos volumes da série Educação no Lar. O tratamento não é metódico, mas incidental; um pouco aqui, um pouco ali, como me pareceu mais apropriado para atender as necessidades dos pais e professores. Devo acrescentar que, no decurso de uma série de anos, vários ensaios foram preparados para uso da União Educacional Nacional de Pais, na esperança de que essa Sociedade possa testemunhar um corpo de pensamento educacional mais ou menos coerente.”

“Grande é a conseqüência da verdade, portanto o seu julgamento não deve ser negligente.”  Whichcote

Continuar lendo “20 Princípios da Filosofia de Charlotte Mason”

“6 Características do Metodo de Charlotte Mason” por Sonya Shafer

Quero compartilhar com vocês seis razões porque eu amo o Método Charlotte Mason. Para alguns de vocês, essas razões podem ser novas; para outros, elas podem ser simples lembretes. Mas, para todos, não importa em que lugar você esteja em sua jornada, eu quero dizer: “Confie em mim, estas razões ficarão cada vez mais doces com o passar dos anos!”

Continuar lendo ““6 Características do Metodo de Charlotte Mason” por Sonya Shafer”

“O Método de Charlotte Mason” por Sonya Shafer

O método Charlotte Mason é baseado na crença firme de Charlotte que a criança é uma pessoa e devemos educar a pessoa inteira, e não apenas sua mente. Assim, a educação proposta por Charlotte Mason tem tripla abordagem: em suas palavras, “A educação é uma atmosfera, uma disciplina, uma vida”.

Continuar lendo ““O Método de Charlotte Mason” por Sonya Shafer”

“Fundamentos para os Anos Pré-escolares” por Sonya Shafer

Pode ser um pouco assustador enfrentar a educação em casa pela primeira vez, sem ter ideia do que esperar! “Esses primeiros anos lançam o fundamento”, é o que nos dizem frequentemente. Sim, é verdade. Mas as prioridades que Charlotte Mason tinha muitas vezes soam um pouco diferente (bem, provavelmente mais do que “um pouco”), porque este “fundamento” não enfatiza o que normalmente as pessoas assumem que irá enfatizar.

Em vez de pressões acadêmicas ou sociais, Charlotte Mason incentivava as mães a dar aos seus pequeninos um total de seis anos de desenvolvimento de bons hábitos, familiarização com a natureza, exploração do mundo por meio dos cinco sentidos, crescimento em suas vidas espirituais e brincadeiras ao ar livre. Com isso em mente, aqui estão as nossas sugestões para os primeiros anos.

Continuar lendo ““Fundamentos para os Anos Pré-escolares” por Sonya Shafer”