Anos Formais

INTRODUÇÃO AO CURRÍCULO

Este currículo é um esboço do currículo utilizado nas escolas da PNEU (Parent’s National Educational Union). Ele oferece uma visão geral das disciplinas curriculares durante os anos escolares. Sozinhas essas instruções não se prestam à educação viva e integral idealizada por Charlotte Mason. Os professores devem conhecer sua filosofia da educação, o que ela própria disse sobre cada uma dessas disciplinas e o modo como elas devem ser ensinadas. Você pode ler os seis volumes gratuitamente no site AmblesideOnline.Org (em inglês) ou adquirir a tradução do Volume 1, Educação no Lar no site do CoopBrasil.

Da página Aprendendo em Casa com Charlotte Mason (com permissão):

Nas escolas da PNEU, dirigidas por Charlotte Mason, as séries eram divididas conforme a faixa etária, as disciplinas e os assuntos. Algumas séries, denominadas formulários, duravam 2 anos.

FormulárioSérieIdade
1B1° ano6 a 7 anos
1A2° e 3° anos7 a 9 anos
2B4° ano9 a 10 anos
2A5° e 6° anos10 a 12 anos
37° e 8° anos12 a 14 anos
49° ano14 a 15 anos
51° e 2° anos EM15 a 17 anos
63° ano EM17 a 18 anos

 

Nós utilizamos a mesma divisão do ano escolar que as escolas da  PNEU utilizavam; três trimestres anuais com 12 semanas cada, sendo ao todo 36 semanas de aula durante o ano. Este currículo contempla 1 ano inteiro de lições. Cada aula deve ter duração de, no máximo, 20 minutos, obedecendo assim um dos aspectos do método que são as lições curtas. É necessário interromper a lição antes que a atenção do aluno se perca, você pode cronometrar esse tempo com o seu celular. É igualmente importante que a leitura seja feita somente uma vez para que o aluno saiba que ele não terá outra oportunidade de ouvir o que foi lido. Ao fim da leitura o aluno deve narrar com suas próprias palavras o que ouviu. A narração é um trabalho do aluno, o professor não deve interromper nem sugerir.

 

Saiba mais:

[Parent’s Review] O Método de Ensino de Charlotte Mason

“Três Princípios Básicos de Charlotte Mason”

“A Arte da Narração”

Caligrafia e cópia

 

 

Aqui estão algumas das matérias presentes nos currículos:

 

BÍBLIA

“Mas estamos considerando aqui não a vida religiosa das crianças, mas a sua educação por meio das lições; e suas lições bíblicas devem ajudá-las a perceber, já no início, que o conhecimento de Deus é o principal conhecimento e que, portanto, as suas lições bíblicas são as suas principais lições.” ―Educação no Lar, Volume 1

“Mas dê à imaginação das crianças um estoque de cenas da história das Escrituras se desdobrando gradualmente, e nutra as suas mentes com as palavras ali presentes, e elas passarão a enxergar a partir de um amplo horizonte, dentro do qual as pessoas e os eventos tomam forma em seus devidos lugares e em suas devidas proporções. Gradualmente, elas verão que o mundo é um palco em que a bondade de Deus está continuamente combatendo a obstinação humana; que alguns homens heróicos lutam ao lado Deus; e que outros, tolos e teimosos, se opõem a Ele. O fogo do entusiasmo começará a arder em seu peito, e as crianças escolherão o seu lado, igualmente, sem muita exortação ou conversa sobre alguma experiência espiritual específica.” ―Educação no Lar, Volume 1

“… É bom deixar as crianças ouvirem as palavras das escrituras dos lábios do professor, mesmo que a princípio seu pleno significado seja apenas fracamente apreendido. O apelo espiritual de sua beleza preparará o caminho para o mais completo entendimento de seu significado divino.”

 

LITERATURA

“Eu sei que você pode trazer um cavalo para a água, mas você não pode fazê-lo beber. O que eu me queixo é que não trazemos nosso cavalo para a água. Damos-lhe miseráveis pequenos livros didáticos, meros compêndios de fatos, que ele deve aprender, dizer e produzir em um exame; ou nós lhe damos vários conhecimentos na forma de diluentes temperados, preparados por seu professor, talvez com alguns grãos de pensamento vivo para uma enorme quantidade de água. E em todo o tempo temos livros, livros repletos de idéias novas da mente dos pensadores sobre todos os assuntos aos quais podemos introduzir crianças. ”(Vol. 3, p. 171)

“Os ‘cem melhores livros para a sala de aula’ podem ser colocados em uma lista, mas não por mim. Atrevo-me a propor um ou dois princípios em matéria de livros escolares, e deixarei a parte muito mais difícil, a aplicação desses princípios, ao leitor. Por exemplo, acho que devemos às crianças deixá-las escavar seu conhecimento, seja qual for o assunto, por si mesmas fora do livro adequado; e isso por duas razões: o que uma criança cava é sua própria possessão; o que é derramado em seu ouvido, como a canção ociosa de um cantor agradável, flutua para fora tão levemente quanto entrou, e raramente é assimilado. Não quero dizer que a palestra e a aula oral não tenham seus usos; mas esses usos são para dar impulso e ordenar conhecimento; e não para transmitir conhecimento, ou para nos proporcionar aquela parte da nossa educação que vem de um conhecimento adequado, apropriadamente dado.” (Vol. 3, p. 177)

 

HISTÓRIA

“Sucedendo ao conhecimento religioso, a história é o eixo sobre o qual nosso currículo gira.” (Vol. 6, p. 273)

“Mas, ler a história inglesa e não perceber que ela está repleta de interesses, brilhando com seus episódios, e cheia de incidentes dramáticos, é perder todo o prazer e a maior parte da instrução que seu estudo, se adequadamente buscado, pode oferecer”
―Educação no Lar, Volume 1

“Entretanto, perceba que a imaginação não cai do céu totalmente desenvolvida para tomar posse de uma casa vazia; como qualquer outro poder da mente, ela tem início como a mais simples semente de um poder, e cresce por meio daquilo que recebe; e a infância, a idade da fé, é o momento ideal para a sua nutrição. As crianças devem ter a alegria de viver em terras distantes, em outras pessoas, em outras épocas ― uma deliciosa existência dupla; e a maior parte desta alegria será encontrada em seus livros de histórias. Suas lições, também, de história e geografia, devem cultivar seus poderes ideacionais. Se a criança não consegue viver nas épocas estudadas em sua lição de história, nem se familiarizar com os climas descritos por seu livro de geografia, é claro que essas lições fracassarão em seu propósito.”
―Educação no Lar, Volume 1

Mas toda nação tem sua era heróica antes do início da história autêntica: “naqueles dias, havia gigantes sobre a terra”, e a criança deseja saber sobre eles. Ela tem todo o direito de se deleitar em tais mitos clássicos que possuímos como nação…”
―Educação no Lar, Volume 1

 

GEOGRAFIA

“Mas o valor peculiar da geografia reside na sua capacidade de nutrir a mente com ideias e guarnecer a imaginação de cenas mentais.”
―Educação no Lar, Volume 1

“A geografia ainda é regional, isto é, as crianças são levadas a conhecer intimamente os países da Europa para que o mapa de qualquer país atraia na imaginação de uma criança um panorama maravilhoso das diversidades do país, do povo, de sua história e ocupações. É evidente que esse tipo de imagem geográfica não pode ser assegurada de outra forma que não seja considerando a Europa país a país. Eles começam com um levantamento geral dos mares e praias do continente, dos países e povos, da diversidade de línguas e sua origem histórica, das planícies e montanhas, dos rios e suas bacias… Os jovens acadêmicos estão acostumados com o mapa da Europa antes de considerarem os países separadamente. ”(Vol. 6, pp. 225-226)

“Talvez nenhum conhecimento seja mais prazeroso do que uma intimidade com a superfície da terra, região por região, que permita ao mapa de qualquer região desdobrar um panorama de deleite, revelando não apenas montanhas, rios, fronteiras, as grandes características que conhecemos como ‘Geografia’, mas associações, ocupações, algumas partes do passado e grande parte do presente, de toda parte desta bela terra. ”(Vol. 6, p. 224)

 

CIÊNCIAS

“Todos fomos destinados a ser naturalistas, cada um em seu próprio grau, e é imperdoável que vivamos em um mundo tão cheio de maravilhas de plantas e vida animal e não nos importemos com essas coisas.” ―Educação no Lar, Volume 1

“Quando as crianças tiverem idade suficiente para entender que a ciência em si é, em certo sentido, sagrada e exige alguns sacrifícios, toda a “informação comum” que acumularam até então, e os hábitos de observação que adquiriram, somarão um valor fundamental para uma educação científica. Mas, até lá, que elas considerem os lírios do campo e as aves do ar.” ―Educação no Lar, Volume 1

“Considere, também, que treinamento mental incomparável a criança naturalista está obtendo para qualquer estudo ou vocação abaixo do sol — os poderes da atenção, da discriminação, da busca paciente, crescendo na medida em que ela cresce, capazes de equipá-la a qualquer atividade. Além disso, a vida para ela é tão interessante, que ela não tem tempo para as falhas de temperamento que geralmente têm sua origem no ennui (tédio); não há razão para que ela seja rabugenta ou mal-humorada ou obstinada enquanto se mantém sempre tão bem distraída.” ―Educação no Lar, Volume 1

“Nunca esteja dentro de casa quando você pode perfeitamente estar fora dela.” ―Educação no Lar, Volume 1

 

MATEMÁTICA

“…Mas o uso de seu estudo na vida prática é o menos importante. O principal valor da aritmética, como aquele da matemática avançada, reside no treinamento que ela proporciona aos poderes de raciocínio e nos hábitos de elucidação, prontidão, exatidão e veracidade intelectual que ela gera.” ―Educação no Lar, Volume 1

“Não existe “deve ser” para ele; ele precisa perceber que um processo, e apenas um processo, pode oferecer o resultado desejado. Ora, uma criança que não sabe que regra aplicar a um simples problema ao seu alcance, foi mal ensinada desde o início, embora possa preencher diversas lousas com resultados de multiplicações e longas divisões extremamente preciso” ―Educação no Lar, Volume 1